O detetive e a senha

senha_Site

Um detetive foi trabalhar disfarçado em uma operação secreta, contra o tráfico de entorpecentes.

Seu alvo se encontrava em uma casa, vigiada por traficantes, onde o único modo de entrar era dizendo uma senha.

O detetive resolveu espreitar a porta principal.

Certo momento, um homem apareceu no vão da porta e disse “vinte e quatro”. O homem que estava fora da casa disse “doze” e entrou.

Logo depois, outro sujeito chegou e ouviu-se “catorze” . Ele respondeu “sete” e entrou.

Então, outro apareceu, ouviu-se “oito”. Ele respondeu “quatro” e entrou.

O detetive convencido já saber a senha, foi tentar entrar. O homem, então, disse “quatro” e ele respondeu “dois” e imediatamente foi morto.

Qual seria a resposta que o detetive tinha que ter dado?

Solução:

O detetive raciocinou que a senha era a metade do número dito pelo traficante. Na verdade, ele teria que esperar mais um pouco, até se certificar que a sua hipótese era válida.

A senha era o número de letras da palavra dita pelo traficante.

“vinte e quatro” –> 12

“catorze” –> 7

“oito” –> 4

“quatro” –> 6

Logo, o detetive deveria ter dito ” seis”.

3 Comentários

Cadastre-se no Gravatar e mostre seu avatar em blogs e sites.

    • Joice

      Catorze e quatorze  as duas maneiras de escrever estão corretas. A origem latina da palavra é quattuordecim e escrever com “qu” está de acordo com essa origem, mas escrever com “c” também está correto, pois o “qu”, ao longo do tempo, se transformou “c”. Portanto, tanto faz: tanto catorze quanto quatorze estão corretos.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *